VAR no Brasileiro custará R$19 mi

por em às 14:35




Em 2019, o Campeonato Brasileiro terá uma mudança significativa: o polêmico árbitro de vídeo estará em todos os jogos. Para a CBF, é o momento ideal para implementação do recurso que, de acordo com a mesma, valorizará o Brasileirão. No entanto, o VAR já apresentou ser uma solução um tanto controversa e nem todos acreditam que o árbitro de vídeo será realmente algo positivo.

Mas, o martelo já foi batido, o VAR será implementado, seja ele polêmico ou não. O custo também já foi definido, orçado em R$ 19 milhões, a CBF arcará com R$ 12 milhões enquanto os outros R$ 7 milhões serão divididos entre os 20 clubes da série A. O valor poderia até ser maior, de fato, em 2018 os clubes recusaram justamente por causa do investimento elevado. No entanto, com a concorrência da Ernst & Young, a Hawk-eye foi obrigada a abaixar os preços para conseguir o contrato.

Na teoria, o árbitro de vídeo deveria garantir uma arbitragem mais eficiente e livre de erros claros. As vantagens de um campeonato mais justo e transparentes são várias, tanto para os clubes participantes, quanto para serviços que dependem dos resultados do mesmo. É o caso de jogos como o Cartola FC, ter um jogador expulso injustamente pode significar uma grande perda de pontos.

Sites de apostas também costumam se beneficiar com campeonatos mais justos, afinal de contas, muitos jogadores ficam insatisfeitos quando perdem suas apostas devido à um erro de arbitragem. Aliás, este campeonato que deverá ser mais justo, é uma ótima oportunidade para que você também tente a sorte nas apostas. Assim, se você se considera bom nos palpites, não deixe de conferir as vantagens do Sportingbet e outros sites de apostas. Eles abrangem jogos do Brasileirão e demais torneios nacionais, como a Copa do Brasil, por exemplo, e costumam oferecer incentivos para quem não tem registro no serviço.

Pressão, inexperiência e comunicação: Os problemas do VAR

A arbitragem de vídeo não é perfeita, e a própria FIFA reconhece isso ao afirmar em seu protocolo que o objetivo não é 100% de acerto nas decisões. Mas, o problema é convencer torcedores, jogadores, dirigentes e imprensa que isso é necessário dada a natureza de alguns lances. O próprio Sport já passou por isso na final do Campeonato Pernambucano de 2017. Na ocasião o árbitro marcou, equivocadamente, um pênalti para o Salgueiro no final do jogo de ida, e, ao conferir o lance no vídeo confirmou a marcação errônea. Com isso o Salgueiro conseguiu o empate e quase tirou o título do Sport que venceu o segundo jogo por 1 x 0.

Claro, clubes e torcedores não querem nada menos que a perfeição, no entanto, quando tamanha pressão é colocada sobre os ombros dos árbitros, as partidas podem se tornar mais lentas. Principalmente se o árbitro perder a confiança nas suas decisões e decidir verificar todos os lances com o objetivo de aumentar a certeza e a confiabilidade das marcações.

during the 2018 FIFA World Cup Russia group C match between France and Australia at Kazan Arena on June 16, 2018 in Kazan, Russia.

Outro problema do VAR é a inexperiência dos árbitros, auxiliares e a equipe de técnicos que comanda as câmeras. Claro, se a prática leva à perfeição, precisamos iniciar em algum momento para garantir chegar no ápice da utilização do VAR. No entanto, isso quer dizer que o começo será bastante conturbado, visto que, a equipe que estará em campo poderá estar utilizando o sistema pela primeira vez em uma partida de futebol oficial. Aliás, este será o caso em vários dos jogos do Brasileirão, logo, podemos esperar alguns equívocos, partidas lentas e a má utilização do recurso tecnológico, sendo que só o tempo tornará os árbitros melhores neste aspecto.

Por fim, precisamos lembrar que a comunicação será mais um problema que só será corrigido com o tempo. Explicamos: ao chamar o juiz em campo, o árbitro de vídeo comunica ao mesmo qual o problema visto no lance. Por exemplo, se houver contato com a mão do jogador em um lance na área, o árbitro de vídeo deve comunicar isso ao juiz, orientando o mesmo a revisar o lance se atentando à este detalhe no vídeo e, então, decidir se marca ou não a penalidade.

Mas, mesmo com problemas, é preciso lembrar que o VAR tem, de fato, a capacidade de tornar o futebol mais justo. O Cruzeiro conquistou o Campeonato Mineiro graças à uma decisão correta do VAR que interveio em um lance de pênalti que realmente ocorreu mas não foi visto pelo árbitro em campo. Existem outros casos em que o árbitro de vídeo foi importante para que um placar fosse determinado de maneira justa. O que resta é esperar e torcer para que a implementação do VAR seja um sucesso e o período de aprendizado seja curto.