Sport volta a tropeçar e chega ao sexto jogo sem vencer em casa

por em 20/10/17 às 10:48

O risco do rebaixamento exigia que o Sport conseguisse os três pontos, nesta quinta-feira, diante do Santos, no estádio da Ilha do Retiro. E o Leão foi todo ataque desde o início da partida. Mas o espaço dado no início do jogo complicou o duelo para os anfitriões rubro-negros. Ao final do jogo, empate em 1×1, que garantiu, pelo menos, um degrau alcançado na classificação da Série A do Campeonato Brasileiro. Agora, os pernambucanos estão na 14ª posição, com 35 pontos. Detalhe: três a mais que a Ponte Preta, primeira equipe dentro do Z4.

Em sequência, dois lances idênticos, em três minutos de jogo. Bola enfiada para Ricardo Oliveira que, no mano a mano com algum defensor do Sport, conseguiu finalizar. Na primeira tentativa, um chute fraco e defesa de Magrão. No seguinte, falha do goleiro rubro-negro – pasmem. O placar de 1×0, tão cedo no jogo, contribuiu para o desenrolar do jogo na primeira etapa. Isso porque, com o peso do resultado negativo, e a zona de rebaixamento nos calcanhares, naturalmente o Leão se mandaria ao ataque. E lances de perigo foram protagonizados pelos rubro-negros. Do outro lado, no entanto, os pernambucanos encontraram um goleiro Vanderlei inspirado.

A primeira grande defesa do arqueiro santista aconteceu aos 13 minutos. Osvaldo bateu falta da direita, Rithely desviou de cabeça, e Vanderlei foi buscar. Um verdadeiro milagre, no entanto, aconteceu aos 34 minutos. Diego Souza driblou dentro da área do Santos e bateu rasteiro, de esquerda. Vanderlei se esticou, no contrapé, e evitou novamente o empate. O intervalo de tempo entre os dois lances tem, sim, uma justificativa. O fato é que o Santos conseguiu dominar o meio de campo por boa parte do primeiro tempo – principalmente por conta do nervosismo leonino. Antes da ida das equipes para os vestiários, Vanderlei ainda salvou uma bola com os pés, em dividida com André.

Na volta para o segundo tempo, Luxemburgo resolveu mandar o Sport ainda mais ao ataque. Duas substituições aconteceram. Samuel Xavier entrou no lugar de Raul Prata e o Wesley saiu para Juninho ir ao jogo. As alterações fizeram o Leão alugar o campo de defesa do Santos, que apostaram apenas nos contra-ataques. Mas os gols voltaram a ser perdidos pelos rubro-negros. O próprio Juninho, jogador que mais apareceu na etapa final do jogo, acabou desperdiçou ótima chance, aos 21 minutos. O empate, enfim, aconteceu. Aos 38 minutos, Rogério cruzou na área e acabou mandando direto para o gol.

Ficha do jogo

Sport
Magrão; Raul Prata (Samuel Xavier), Durval, Henríquez e Sander; Rithely, Wesley (Juninho), Osvaldo (Rogério), Patrick e Diego Souza; André. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
Santos
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Matheus Jesus, Yuri (Vecchio), Serginho (Copete), Jean Mota e Lucas Lima; Ricardo Oliveira (Kayke). Técnico: Levir Culpi.
Estádio: Ilha do Retiro (Recife-PE). Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA). Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e José Ricardo Guimarães Coimbra (PA). Cartões amarelos: Wesley (Sport); Lucas Veríssimo, Yuri, Vecchio, Copete, Matheus Jesus (Santos). Gols: Ricardo Oliveira (3’ do 1T, Santos) e Rogério (38’ do 2T, Sport).
Público: 16.377.
Renda: R$ 264.169.