Sport vence a Chapecoense na Arena e chega a sequência inédita de vitórias

por em 14/07/17 às 0:57

O Sport segue sua arrancada na temporada Agora novamente conduzido por Diego Souza, deu prosseguimento a sua curva ascendente ao ganhar da Chapecoense nesta quinta-feira, na Arena de Pernambuco: 3 a 0. Os gols foram marcados todos no segundo tempo, quando DS87 deixou o banco de reservas para voltar a jogar pelo Rubro-negro e melhorar o rendimento do time. Fez o segundo gol, inclusive. O resultado leva o Leão à quinta posição e a uma série de quatro vitórias seguidas na Série A, que o Leão nunca havia conseguido no campeonato Brasileiro de pontos corridos. De quebra, a equipe completou ainda a sexta partida consecutiva no ano sem ser vazada.

Confira os melhores momentos aqui.

O primeiro tempo teve quase zero de criatividade. As equipes não se dispunham a atacar com o mínimo de qualidade. Movido pela torcida (na qual boa parte custou para entrar na Arena por causa de lentidão no processo de troca de ingressos), o Sport até tentava propor o jogo. Mas tinha uma transição deficiente. Partia para cima mais na base da vontade. Chances de gols praticamente inexistiram.

Passado pouco mais de um terço do jogo nessa toada, grande parte dos torcedores do Leão apontou a possível solução para o problema na criação da equipe: Diego Souza. Sem resquícios de ressentimentos com o meia após impasse que quase o levou ao Palmeiras e as críticas abertas que fez à diretoria, gritaram o nome dele em uníssono quando Osvaldo sentiu a panturrilha. Mas… frustração. Foi Rogério quem entrou em campo.

O Sport errava muitos passes. Num desses erros, aliás, permitiu um contra-ataque da Chape. Wellington Paulista saiu na cara do gol. De canhota, chutou por cima. Era a melhor oportunidade do confronto até então. O atacante teve outra chance em seguida. O time pernambucano foi dar uma reposta apenas aos 43, quando o goleiro Jandrei espalmou chute cruzado de Mena.

Diego no time e a vitória
O técnico Vanderlei Luxemburgo resolveu promover no retorno do intervalo a alteração que a torcida sugeriu. Diego Souza foi acionado para o segundo tempo, sob novos e esperados gritos dos torcedores. Com sete jogos completados na Série A, não poderá agora atuar no campeonato por outro time.

DS87 entrou no lugar de Sander, e Mena foi deslocado da ponta para a lateral. O novo sistema deu certo. Pela beirada após a entrada de Diego, Everton Felipe serviu André: 1 a 0. Se um ídolo entrou no segundo tempo, outro deixou o gramado. Contundido, Magrão deu vaga a Agenor. A sólida defesa do Leão não permitiu que o reserva tivesse grandes sustos.

Ofensivamente, o Sport teve um meio-campo muito mais fértil que no primeiro tempo. Faltava o gol do grande astro da noite. Veio nos acréscimos. Diego Souza completou cruzamento de Mena no contrapé de Jandrei. A torcida foi ao delírio. Aos 49, André ainda aumentou a contagem com a Chape desmontada em jogada parecida. Desta vez, Samuel Xavier o serviu.

Ficha do jogo 

Sport: 3
Magrão; Samuel Xavier; Ronaldo Alves, Durval e Sander (Diego Souza); Patrick, Rithely, Everton Felipe, Osvaldo (Rogério) e Mena; André. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Chapecoense: 0
Jandrei, Apodi, Douglas Grolli, Victor Ramos e Reinaldo; Girotto (Luiz Antônio), Lucas Mineiro e Lucas Marques (Lourency); Seijas (Dodô), Arthur e Wellington Paulista. Técnico: Vinícius Eutrópio.

Estádio: Arena de Pernambuco (São Lourenço da Mata-PE).

Árbitro: Dyorgines Jose Padovani de Andrade (ES).

Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Vanderson Antonio Zanotti (ES). Cartões amarelos: Patrick, Ronaldo Alves (Sport); Reinaldo, Wellington Paulista, Girotto, Lucas Marques, Douglas Grolli, Arthur, Apodi, Lucas Mineiro. (Chapecoense).

Gols: André (17′ e 49′ do 2T, Sport) e Diego Souza (46′ do 2T).
Público:25.861
Renda: R$465.213