Mesmo com ajuda de vídeo Juiz marca pênalti inexistente e o Sport sofre empate aos 56 minutos do segundo tempo

por em 08/05/17 às 0:17

O Sport tinha a vitória nas mãos até os 49 minutos do segundo tempo, quando o árbitro José Woshington marcou pênalti inexistente a favor do Salgueiro. Depois de consultar a reprise em um monitor de TV, o juiz manteve o erro e manteve a penalidade para o Carcará, que arrancou no último lance da partida o empate por 1×1, neste domingo (7), na Ilha do Retiro, pela partida de ida da decisão do Pernambucano.

O gol rubro-negro foi marcado pelo atacante André, ainda no primeiro tempo, enquanto Jean Carlos deixou tudo igual no placar nos acréscimos do segundo. Com o resultado, quem vencer na volta, no dia 18 de junho, no Sertão, se sagra campeão pernambucano. Um novo empate leva a decisão do título para os pênaltis – o gol marcado fora de casa não serve como critério de desempate.

Agora, os rubro-negros voltam as suas atenções para a Copa Sul-Americana. Na quinta-feira, o Sport encara o Danubio, às 21h45, no estádio Centenário, em Montevidéu, pela volta da primeira fase. Na ida, em 6 de abril, o Leão venceu por 3×0. Do Uruguaio, o elenco pernambucano segue direto para São Paulo. É que, no domingo, o time estreia no Brasileirão contra a Ponte Preta, em Campinas.

O JOGO 

Empurrado por seu torcedor, o Sport teve no primeiro tempo as rédeas da partida. Com maior posse de bola, os rubro-negros buscaram a todo momento o ataque e criaram boas oportunidades, contra um adversário “sem pressa”, postado na defesa e se limitando apenas aos contra-ataques. Por isso, nada mais merecido do que a vantagem na saída para o intervalo de 1×0.

O primeiro gol rubro-negro saiu em um lance de puro oportunismo do atacante André, aos 27 minutos. Mena cruzou da esquerda, Rithely cabeceou com violência e, no rebote de Mondragon, o camisa 90 bateu quase sem ângulo para estufar a rede do Carcará.

Pouco antes disso, aos 24, o Sport poderia ter aberto o placar e em outro lance oriundo da esquerda, mais precisamente dos pés do lateral chileno Mena. Ele cruzou e achou Everton Felipe na área. O garoto dominou e chutou cruzado, mas Mondragon fez ótima defesa, mandando a escanteio.

Na volta para o segundo tempo, o Sport não conseguiu manter o ritmo. Mesmo assim, por pouco não ampliou aos 7 minutos, em cabeçada à queima-roupa de Durval que Mondragon defendeu. Depois disso, teve boas chances com Matheus Ferraz, Rogério e Fabrício. Só que aos 49 o árbitro José Woshington viu pênalti de Raul Prata em Toty. A cobrança de Jean Carlos.

Sport 1

Magrão; Samuel Xavier (Raúl Prata), Matheus Ferraz, Durval e Mena; Ronaldo, Fabrício, Rithely (Fábio) e Everton Felipe (Lenis); Rogério e André. Técnico: Ney Franco.

Salgueiro 1

Mondragon; Marcos Tamandaré, Ranieri, Luís Eduardo e Daniel Nazaré; Rodolfo Potiguar, Moreilândia, Toty e Valdeir; Álvaro (Jean Carlos) e William Lira. Técnico: Evandro Guimarães.

Local: Ilha do Retiro (Recife-PE). Árbitro: José Woshigton (PE). Assistentes: Marlon Rafael (PE) e Fabrício Leite (PE). Gols: André (Sport, 27′ do 1T) e Jean Carlos (Salgueiro, 56′ do 2T). Cartões amarelos: Samuel Xavier, Rogério, Rithely, Matheus Ferraz e Raúl Prata (Sport); Mondragon e Jean Carlos (Salgueiro). Público: 22.750. Renda: R$ 501.176.

Outras notícias:

Sport renova contrato do volante Rithely
Falcão mantém rotina de treinos fechados no Sport
Sem dificuldades, Sport vence o Sete de Dourados e avança na Copa do Brasil
  1. José Queiroz Júnior disse:

    a diretoria do sport tem que parar ,de inventar o único jogo com juiz eletrônico foi este ,ainda colocou um juiz do Paraguai assim não dar que incompetência ?