Com Juninho inspirado vence o Náutico de virada no fim joga pelo empate pra ir a final

por em às 20:53

Já no apagar das luzes, a torcida rubro-negra viu Juninho inspirado fazendo dois gols e dando a vitória ao Sport de virada na Ilha do Retiro. A primeira partida semifinal do Campeonato Pernambucano disputada na Ilha do Retiro teve cinco gols e muita emoção, com o Náutico ficando em vantagem no placar duas vezes, mas a equipe rubro-negra não desistiu e até que nos últimos minutos finais, um herói oriundo das categorias de base saiu do banco para dar a vitória ao Sport. Que agora tem a vantagem de empatar no jogo da volta próximo domingo(23) na Arena Pernambuco.

A superioridade rubro-negra, no primeiro tempo do Clássico das Emoções foi absurda. Não há outra palavra. Os números, ao final dos 45 minutos iniciais, ajudam na utilização de tal adjetivo. O Leão, que chegou a ter 72% de posse de bola no jogo, terminou a primeira metade do jogo com 66%, contra 34% do Náutico.

O técnico Ney Franco montou a equipe com três volantes. Mesmo esquema da partida da volta contra o Campinense. Diante dos paraibanos, o Leão teve mais sorte antes de descer para os vestiários (já vencia a partida por 2×0). Contra o Náutico, o goleiro Tiago Cardoso foi responsável pelos milagres que o torcedor leonino já está acostumado a saber. A trave também ajudou o Timbu, após cabeceio de André, aos 30 minutos. A defesa alvirrubra não parecia ter forças para conter o Sport. E no ataque, a equipe pouco foi efetiva. Mas a única finalização dos visitantes no jogo deu resultado.

Aos 44 minutos, falta na ponta direita. Marco Antônio andava apagado no jogo. Mesmo assim, se portou como o cobrador oficial e foi na bola. Resultado: bola no ângulo de Magrão, que pouco pode fazer. 1×0 que deu um misto de alegria por parte do Náutico e espanto em todo o estádio. Na volta para o segundo tempo, nenhuma mudança dos dois times. Até a postura foi mantida. Mas a sorte leonina, em um lance, de fato, foi diferente. Aos quatro minutos, um escanteio foi cobrado e a bola ficou passeando pela pequena área do Náutico, até encontrar os pés de Diego Souza. Empate.

No lance seguinte, por pouco, a virada não aconteceu. Novamente Diego Souza, finalizou na grande área e acertou a trave de Tiago Cardoso. Mas se nada dava certo para os rubro-negros, tudo parecia convergir para os alvirrubros. Aos 20 minutos, uma bola que sobrou na pequena área, foi encontrada por Anselmo, que colocou o Náutico novamente na vantagem. Até aquele momento, não havia Juninho em campo. Foi quando o técnico Ney Franco apostou no garoto artilheiro. E num intervalo de tempo de dois minutos, entre os 45 e 47 minutos, dois gols. 3×2 e vantagem leonina para o segundo jogo da semifinal.

FICHA DE JOGO

3 SPORT
Magrão; Samuel Xavier, Henríquez, Durval e Mena (Reinaldo Lenis); Ronaldo (Everton Felipe), Fabrício, Rithely e Diego Souza; Rogério e André (Juninho). Técnico: Ney Franco

2 NÁUTICO
Tiago Cardoso; David, Tiago Alves, Everton Páscoa e Manoel; Rodrigo Souza (Nirley), João Ananias e Marco Antônio; Dudu (Maylson), Erick e Anselmo (Alison). Técnico: Milton Cruz

Local: Estádio da Ilha do Retiro
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes
Assistentes: Guilherme Dias Camilo e Emerson Augusto de Carvaho
Gols: Marco Antônio (aos 44 do 1ºT); Diego Souza (aos 7 do 2ºT); Anselmo (aos 20 do 2ºT); Juninho (aos 45 e 46 do 2ºT)
Cartões amarelos: Ronaldo, Mena (Sport); Manoel, Rodrigo Souza (Náutico)
Público: 15.082 Renda: R$ 289.785,00