Rildo Accioly comandará novo time de Basquete feminino do Sport

por em às 14:56




O Sport não precisou ir longe para fechar com o técnico que irá comandar sua nova equipe de basquete feminino. O nome em questão é de Rildo Accioly, que já trabalha na Ilha do Retiro há mais de dez anos, tanto com equipes masculinas como femininas. O anúncio foi feito neste sábado (2/8), pelo facebook que divulga as informações do basquete leonino.

Rildo é pernambucano, tem 52 anos, e também trabalha na Uninassau, tendo comandado o time bicampeão brasileiro universitário. A informação é de que ele comandará as rubro-negras na Liga de Basquete Feminino (LBF) 2014-2015, além de continuar contribuindo na comissão técnica do time masculino que disputará a Liga de Desenvolvimento (LDB) e a Liga Ouro.

Apesar de ter sido anunciado recentemente como assistente do Uninassau/América, Luiz Miranda não irá mais para o time de Roberto Dornelas e integrará o grupo de Rildo. Outro assistente do Leão será José Erivaldo, o Alemão.

“Um time montado do zero”. Este é o Sport que entrará em quadra para disputar a Liga de Basquete Feminino (LBF) nesta temporada, pelas palavras do treinador da equipe, Rildo Accioly. O técnico assumiu o cargo e a missão de construir uma equipe na lacuna deixada pela saída do antigo comandante, Roberto Dornelas, e as principais jogadoras – todos estão agora no Uninassau/América. Rildo avisou que o processo requer paciência, principalmente da torcida leonina, que se acostumou a ver a antiga equipe levantar um título nacional e um sul-americano nos últimos dois anos.

“Vou precisar muito da ajuda deles (torcedores). Não existe mágica. A realidade hoje é que estamos começando a formar um time do zero. Não temos atletas da seleção brasileira e da WNBA. O que prometemos é tentar fazer uma equipe competitiva. Até que ponto vai ser, não dá pra saber, só a competição pode dizer, mas vamos honrar a camisa do esporte no estado de Pernambuco”, disse Rildo, que foi confirmado no cargo no último sábado.

Rildo é pernambucano, tem 52 anos, trabalha há 30 anos com basquete e também é técnico na Uninassau, tendo comandado o time bicampeão brasileiro universitário. Ele faz parte de comissões técnicas na Ilha do Retiro há mais de dez anos. Apesar de ter sido anunciado como assistente do Uninassau/América, Luiz Miranda não irá mais para o time de Roberto Dornelas e integrará o grupo de Rildo. Outro assistente do Leão é José Erivaldo, o Alemão.

Quanto à montagem do time, Rildo revela dificuldades. “Já participei de duas Ligas, uma feminina e uma masculina, com dificuldades parecidas com essa. A maior será a de formar a equipe, porque todas já estão formadas, têm atletas com contratos. Mas estou otimista porque ainda tem atletas disponíveis. Nosso projeto, segundo o vice-presidente do clube, Iuri Romão, é de dar uma continuidade em uma equipe competitiva e revelando jogadoras.”

Existe a possibilidade de, em novembro, ser disputada uma Liga de Desenvolvimento feminina, seguindo os moldes da competição masculina. Assim, o Leão pretende trazer, de acordo com Rildo, pelo menos quatro a cinco jogadoras abaixo dos 20 anos, que possam ser aproveitadas nos desafios posteriores. “Só jogar com atletas de fora não deixa um legado e não atinge o objetivo que o Sport quer. Tenho confiança no meu trabalho e comissão técnica”, explicou o técnico.

Além disso, o Leão quer trazer três estrangeiras, que podem ou não ser americanas. “Possivelmente vamos trazer três estrangeiras pela falta de atletas do país. Existe uma indisponibilidade de jogadoras nesse nível de competição. Essas jogadoras de fora só vou saber as posições depois que saber o que teremos no Brasil.”

Redação MeuSport
Com informações do Cestinha JC

  1. Bruno disse:

    esporte ou sport cara??

  2. Rubens Sacramento disse:

    Foi uma tremenda falta de compromisso com o nosso sport, a forma como foi dispensado todo um time com uma história vencedora e que poderia nos levar a uma posição nunca antes alcançada por equipes do nordeste do pais. O presidente é uma pessoa autoritária e trabalha por conveniência pessoal, não administra pensando no clube.