Com gol mal anulado, Sport perde para o Cruzeiro no Mineirão

por em às 23:55




“Se o Cruzeiro não acordar, vai ser castigado. O Sport está mais disposto e toca bem a bola.” A frase veio de um dos narradores mais conhecidos da imprensa mineira. Resumiu a surpresa de quem foi ao Mineirão. O Leão da Ilha fez um grande primeiro tempo. Dominou o Cruzeiro. Mas veio a etapa final e, com ela, o castigo. A equipe virou vítima da principal jogada da Raposa na temporada: a bola aérea. Foram dois gols assim. No fim, o resultado teve o sabor amargo da injustiça para os pernambucanos.

Com o resultado, a equipe mineira assume a liderança da Série A, com 13 pontos somados. Já o Sport cai na tabela. Com um jogo a menos, os rubro-negros ficam com sete pontos e na 12ª posição. No próximo domingo, a chance de se recuperar vem diante do Corinthians, na Ilha do Retiro.

O jogo
Durante todo o primeiro tempo, o Sport foi superior. E não foi pouco. A equipe rubro-negra encarou o peso da partida com o atual campeão brasileiro com naturalidade. Não fugiu às características do time montado pelo técnico Eduardo Baptista. Primeiro, marcou bem. Sufocou a Raposa. Com isso, a impaciência no Mineirão começou a tomar conta.

Na mesma proporção, o Leão da Ilha apostou nas investidas ao ataque pelo lado direito. Revezando com Patric, Augusto César aproveitou a fragilidade de Egídio na marcação e foi o destaque do Sport. Roubou bolas importantes. Fez bons passes. Arriscou chutes. O resto do time começou a entrar em seu ritmo. As chances, assim, apareceram.

Até que, aos 31 minutos do primeiro tempo, Leonardo aproveitou um cruzamento de Durval e fez o gol. O árbitro, no entanto, anulou o lance marcando falta dentro da área de Ferron. Ira leonina. Com isso, o Sport foi quem deu as cartas. Era justo ter saído na frente. Ainda que o Cruzeiro também tenha criado duas boas oportunidas, os lances foram isolados. O jogo era rubro-negro. Não à toa, a Raposa foi para o vestiário vaiada. O Leão surpreendia a quem estava no Mineirão.

Segundo tempo
O começo da etapa final mudou todo o panorama da partida. O Sport virou vítima da principal arma do Cruzeiro nesta temporada. Logo aos cinco minutos. Dagoberto cobrou a falta na áerea do Leão, e Ricardo Goulart saltou. Furou de cabeça, mas a bola bateu no joelho e entrou. Castigo. Pouco depois, o Cruzeiro acertou o travessão com uma ‘testada’ de Marcelo Moreno.

Na sequência, o Rubro-negro conseguiu estabilizar a partida. Voltou a tocar mais a bola. Mas foi em um chute de Neto Baiano de fora da área que veio uma boa chance. Fábio se esticou para mandar ao escanteio. Mais um sinal de que a sorte mudou de lado. E, assim, o Cruzeiro consolidou a vitória. Aos 32 minutos, Marcelo Moreno cabeceou com precisão e fez novamente o Sport ser vítima do jogo aéreo azul.

Cruzeiro 2
Fábio; Mayke, Léo, Bruno Rodrigo e Egídio; Willian Farías, Henrique, Everton Ribeiro (Willian) e Ricardo Goulart (Souza); Dagoberto (Luan) e Marcelo Moreno. Técnico: Marcelo Ribeiro

Sport 0
Magrão, Patric, Ferron, Durval e Renê; Rithely, Rodrigo Mancha, Augusto César (Mike – aos 14min do 2ºT) e Renan Oliveira (Felipe Azevedo – aos 24min do 2ºT); Leonardo (Aílton – aos 33min do 2ºT) e Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista

Local: estádio Mineirão (Belo Horizonte). Árbitro: Felipe Gomes da Silva (PR). Assistentes: Bruno Boschilia e Rafael Trombeta (ambos do PR) . Gols: Ricardo Goulart (aos 5min do 2ºT) e Marcelo Moreno (aos 31min do 2ºT). Cartões Amarelos: nenhum. Público: 15.067. Renda: R$ 403.720,00