Pela LDB a equipe do Sport perde em casa para o Tijuca

por em às 12:13




As equipes chegaram ao jogo empatadas com 46 pontos na tabela de classificação. Foi uma partida emocionante, com diversas alternâncias no placar. A barulhenta torcida do Sport compareceu em peso e incentivou a equipe pernambucana todo o tempo. Foi então que o Tijuca Tênis Clube mostrou sua força.

Com uma atuação consistente, a equipe carioca não se importou com o bom público presente no Ginásio do Sport e mostrou muita frieza para superar o clube rubro-negro, nesta terça-feira, pelo placar de 71 a 69.

O armador Pitico do Tijuca se impressionou com a torcida do Sport e a pressão que vinha das arquibancadas do ginásio Jorge Maia. “ jogar contra uma torcida tão barulhenta como a deles é algo que motiva ainda mais um jogador a querer ganhar. Além de querer ganhar na quadra, você quer ‘ganhar’ também dos torcedores. Nos sentimos bem tivemos uma boa atuação, mesmo com o ginásio inteiro torcendo para eles”, completou.

Mesmo com a derrota, o ala/pivô Durval, do Sport, tem motivos para comemorar. Depois de igualar a marca de 24 rebotes de Andrezão, do Paschoalotto/Bauru, em duas oportunidades nesta temporada, o jogador enfim quebrou o recorde de rebotes da história da competição, ao colecionar incríveis 27 sobras. O camisa 8 ainda marcou 18 pontos e foi o cestinha da equipe no duelo.

“Estou muito feliz com recorde, mais ao mesmo tempo estou muito triste com a derrota. O ginásio estava lotado e era uma grande chance para nosso time. Sabíamos que ia ser uma partida difícil, ainda mais que perdemos um jogador importante, que é o Vezaro (se transferiu para Joinville). Perdemos no detalhe, mas temos que seguir com confiança”, disse o recordista Durval.

O Jogo

No embalo de sua barulhenta torcida, o Sport começou a partida com tudo e rapidamente colocou seis a zero de frente. Mas, do outro lado, o Tijuca não se intimidou e não demorou a reagir. Em menos de dois minutos, sob a tutela do armador Pitico, o time carioca emplacou uma sequência de sete pontos seguidos e virou o placar. A partir deste momento, o duelo ficou bastante intenso e dinâmico, mas com as duas equipes abusando dos erros. Depois de muita movimentação e pouca produção ofensiva, a parcial inicial terminou empatada: 13 a 13.

O segundo quarto o Sport e o Tijuca travaram outro duelo equilibradíssimo e terminou também empatado em 32×32, mas no terceiro quarto o Sport se impôs e conseguiu abrir a maior vantagem da partida, de 10 pontos, porém o tempo terminou em 56×50 para o Sport.

O último período foi de tirar o fôlego. As equipes permaneceram iguais até a metade da parcial. Foi então, que com o placar em 60 a 60, que o Tijuca desgarrou. Leandro chamou a responsabilidade e conduziu a equipe carioca a um bom momento. Em pouco mais de dois minutos, os tijucanos abriram oito pontos de frente (68 a 60). Mas o Sport não se entregou. Com muito brio e energia, a equipe local baixou a diferença no placar para apenas dois pontos (69 x 67), com um minuto e meio para o término da partida.

Na sequência, o Tijuca mostrou muita frieza. Depois de uma bola muito bem trabalhada, Pitico encontrou Bernardo embaixo da cesta e o camisa 15 não decepcionou. Com quatro pontos de frente (71 a 67) e 30 segundos para o final do jogo, os representantes do Rio de Janeiro souberam administrar a pressão dos rivais. Após um final de jogo movimentado, os cariocas confirmaram a vitória e ultrapassaram o Sport na tabela de classificação.

Redação MeuSport