Sport vence o Palmeiras com gol no ultimo minuto

por em às 5:05




NE10

Na base da raça e determinação, o Sport conseguiu uma vitória suada e molhada sobre o Palmeiras, por 1×0, na Ilha do Retiro, pela 5ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O heroi da partida foi o atacante Nunes, que marcou o gol da vitória no último minuto de jogo.

A chuva que desabou no Recife deixou o gramado encharcado a partir dos 25 minutos do primeiro tempo. Isso atrapalhou muito as duas equipes, que não conseguiram colocar em prática o seu jogo. O Sport acabou sendo premiado pela determinação e raça em campo.

Com o resultado, o Sport passou a integrar o G4 da Série B. O Leão soma nove pontos e está na terceira colocação. O Palmeiras tem a mesma pontuação, mas está em quarto pelo critério de desempate.

Na próxima rodada, o  O Sport recebe o Bragantino, às 19h30, novamente na Ilha do Retiro. Já o Palmeiras encara o América-RN, em Ceará-Mirim-RN, às 21h50.

O JOGO

Sport e Palmeiras entraram em campo a todo vapor. Duelo bem disputado. As duas equipes não se intimidaram em ir ao ataque. Os lances de perigo foram surgindo até os 25 minutos, quando a chuva castigou o gramado da Ilha do Retiro e o que se viu foi uma disputa digna de pólo aquático.

O time rubro-negro entrou em campo com uma nova formação. O volante Rithelly atuou na lateral-direita, mostrando-se um pouco perdido na posição. No meio, dois "cães de guarda": Renan e Pedra. A dupla deu mais consistência ao setor defensivo.

A primeira chance de jogo foi do Sport. Logo aos 3 minutos, Lucas Lima tabelou com Marcos Aurélio e passou para Felipe Azevedo, que entrou na área livre e chutou para fora. Cinco minutos depois, Caio aproveitou falha de Tóbi, entrou na área e chutou forte, para fora.

O Palmeiras apresentava, até então, falhas no sistema de marcação. Mas a partir do momento em que se ajustou, o time paulista passou a ser mais perigoso. O time valorizou mais a posse de bola e ofereceu mais perigo ao setor defensivo do Leão. Mas foi o Sport quem criou mais outra boa chance. Num rápido contra-ataque, Marcos Aurélio puxou o contra-ataque e lançou Felipe Azevedo, que quase alcança.

Naquele momento, uma forte chuva desabava sob o Recife. O gramado da Ilha do Retiro ficou muito prejudicado. E o futebol acabou. Mesmo assim, Tobi cabeceou e Márcio Araújo evitou, em cima da linha, o gol do Leão. Já o Palmeiras teve duas boas chances graças a vacilos da defesa rubro-negra. Numa delas, Magrão evitou o gol.

No segundo tempo, o gramado estava ainda mais encharcado. E o futebol não existiu. As poças de lama atrapalharam qualquer jogada. O que se viu foram jogadas truculentas, faltas em demasia. Foram lances mais engraçados do que emocionantes.

As duas equipes poderiam, ao menos, utilizar as bolas alçadas na área para tentar fazer o gol. Mas não fizeram isso. Apenas dois lances mereceram registro. Aos 24 minutos, Rithelly fez boa jogada pela lateral, avançou e cruzou rasteiro. O goleiro Bruno fez boa defesa.

Quatro minutos depois, o Palmeiras foi à frente. Após cobrança de falta, Caio, de frente para o gol, chutou forte e rasteiro. Magrão fez importante defesa.

Depois desses lances, o que se viu foi um festival de erros. A má condição do gramado impediu as duas equipes mostrarem um futebol objetivo, competitivo. Conseguir um gol é uma questão de sorte.

E foi o Leão que balançou as redes no último minuto de jogo. Após cobrança de escanteio, Bruno espalmou e a bola sobrou para Nunes, que mandou de direita, no canto esquerdo do goleiro palmeirense. Não havia mais tempo para nada e a torcida explodiu em alegria. Ao final da partida, os jogadores do Palmeiras foram reclamar da arbitragem e o volante Márcio Araújo foi expulso.   

O Palmeiras apresentava, até então, falhas no sistema de marcação. Mas a partir do momento em que se ajustou, o time paulista passou a ser mais perigoso. O time valorizou mais a posse de bola e ofereceu mais perigo ao setor defensivo do Leão. Mas foi o Sport quem criou mais outra boa chance. Num rápido contra-ataque, Marcos Aurélio puxou o contra-ataque e lançou Felipe Azevedo, que quase alcança.

Naquele momento, uma forte chuva desabava sob o Recife. O gramado da Ilha do Retiro ficou muito prejudicado. E o futebol acabou. Mesmo assim, Tobi cabeceou e Márcio Araújo evitou, em cima da linha, o gol do Leão. Já o Palmeiras teve duas boas chances graças a vacilos da defesa rubro-negra. Numa delas, Magrão evitou o gol.

No segundo tempo, o gramado estava ainda mais encharcado. E o futebol não existiu. As poças de lama atrapalharam qualquer jogada. O que se viu foram jogadas truculentas, faltas em demasia. Foram lances mais engraçados do que emocionantes.

As duas equipes poderiam, ao menos, utilizar as bolas alçadas na área para tentar fazer o gol. Mas não fizeram isso. Apenas dois lances mereceram registro. Aos 24 minutos, Rithelly fez boa jogada pela lateral, avançou e cruzou rasteiro. O goleiro Bruno fez boa defesa.

Quatro minutos depois, o Palmeiras foi à frente. Após cobrança de falta, Caio, de frente para o gol, chutou forte e rasteiro. Magrão fez importante defesa.

Depois desses lances, o que se viu foi um festival de erros. A má condição do gramado impediu as duas equipes mostrarem um futebol objetivo, competitivo. Conseguir um gol é uma questão de sorte.

E foi o Leão que balançou as redes no último minuto de jogo. Após cobrança de escanteio, Bruno espalmou e a bola sobrou para Nunes, que mandou de direita, no canto esquerdo do goleiro palmeirense. Não havia mais tempo para nada e a torcida explodiu em alegria. Ao final da partida, os jogadores do Palmeiras foram reclamar da arbitragem e o volante Márcio Araújo foi expulso.  

Ficha técnica

Sport: Magrão; Rithely, Tobi, Gabriel e Marcelo Cordeiro; Anderson Pedra, Renan Teixeira (Nunes), Lucas Lima (Nunes) e  Camilo; Felipe Azevedo e Marcos Aurélio. Técnico: Marcelo Martelotte

Palmeiras: Bruno; Ayrton, Maurício Ramos, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Charles (Fernandinho) e Tiago Real; Leandro (André Luís), Caio e Vinícius (Sereginho). Técnico: Gilson Kleina

Local: Ilha do Retiro; Árbitro: Wagner Reway (MT); Assistentes: Paulo César Silva Faria e Fábio Rodrigo Rubinho (Ambos do MT). Gol: Nunes, aos 48 minutos do segundo tempo. Cartões amarelos: Rithelly, Marcelo Cordeiro, Ayrton, Maurício Ramos e Junior.  Expulsão: Márcio Araújo. Público: 21.726. Renda: R$ 347.565,Ficha técnica

Sport: Magrão; Rithely, Tobi, Gabriel e Marcelo Cordeiro; Anderson Pedra, Renan Teixeira (Nunes), Lucas Lima (Nunes) e  Camilo; Felipe Azevedo e Marcos Aurélio. Técnico: Marcelo Martelotte

Palmeiras: Bruno; Ayrton, Maurício Ramos, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Charles (Fernandinho) e Tiago Real; Leandro (André Luís), Caio e Vinícius (Sereginho). Técnico: Gilson Kleina

Local: Ilha do Retiro; Árbitro: Wagner Reway (MT); Assistentes: Paulo César Silva Faria e Fábio Rodrigo Rubinho (Ambos do MT). Gol: Nunes, aos 48 minutos do segundo tempo. Cartões amarelos: Rithelly, Marcelo Cordeiro, Ayrton, Maurício Ramos e Junior.  Expulsão: Márcio Araújo. Público: 21.726. Renda: R$ 347.565,00.