Sport perde o primeiro jogo da final e agora precisa de dois jogos pra ser campeão

por em às 21:21




NE10

Dizem que no futebol o detalhe faz toda a diferença. Em um clássico decisivo valendo título o peso é ainda maior. No primeiro jogo do Pernambucano Coca-Cola entre Santa Cruz e Sport, neste domingo, no Arruda, não foi diferente. O Leão pressionou mais durante os 90 minutos e criou mais chances de perigo. O Santa Cruz, contudo, foi mais eficiente e saiu vencedor do confronto após aproveitar uma das poucas oportunidades que criou. Dênis Marques foi o eleito para definir o Clássico das Multidões aos 38 minutos do primeiro tempo.  1×0 foi o placar para os corais.

Com o resultado, o Tricolor joga pelo empate na partida de volta, na Ilha do Retiro, no próximo domingo. Se perder para o Leão, seja por qual for o placar, haverá uma terceira partida.

O JOGO – Equilíbrio foi a palavra dos primeiros minutos. O Santa Cruz tentou tomar mais a iniciativa no começo do jogo, mas parou na marcação rubro-negra. O mesmo cenário foi desenhado para os jogadores do Sport, que não conseguiram fugir do desarme tricolor.

A partir das 15 minutos, porém, esse panorama foi mudando. O Sport começou a roubar mais a bola e a sair mais para o jogo. A principal arma era o contra-ataque em velocidade com o atacante Marcos Aurélio. Outro jogador importante para o Leão na primeira etapa foi Rithelly que desarmou praticamente todos os ataques do Santa e ainda apareceu no ataque. Aos 16, o volante rubro-negro quase abriu o placar. Aproveitou bola na entrada da área e entrou driblando. No final do lance, chutou cruzado para boa defesa do goleiro Tiago Cardoso.

O Sport dominou os minutos seguintes. Detinha mais posse de bola, desarmava melhor e chegava com mais força ao ataque. Tiago Cardoso salvou o time no mínimo três vezes. O Santa Cruz, por outro lado, se concentrava na marcação e saia pouco para a parte ofensiva. Flávio Caça-Rato e Renatinho eram os poucos mais agudos pelo lado coral.

Só que futebol não é feito só de chances. Nem sempre o melhor faz o gol. E no primeiro tempo do Arruda foi assim. Aos 38 minutos, Dênis Marques, que estava sumido no jogo, recebeu bola na entrada da área e tocou com categoria para o fundo das redes de Magrão. Festa tricolor nas arquibancadas e a punição para o Sport, que desperdiçou as suas principais chances.

Depois do gols os papéis se inverteram e o Santa passou a ter o domínio territorial e emocional do jogo. Nada, porém, que fizesse com que o placar fosse alterado.

SEGUNDO TEMPO – Atrás no placar, o Sport não viu outra alternativa a não ser manter o ritmo que vinha tendo antes do intervalo. Os leoninos continuaram apostando no jogo veloz principalmente com o atacante Marcos Aurélio. Como no primeiro tempo, as chances surgiram. Aos 14, Marcos Aurélio acertou o travessão de Tiago Cardoso após cobrança de falta.

O melhor momento dos visitantes significou um mau momento do Santa Cruz. Correto? Em partes. A marcação coral até que foi eficiente com destaque para o volante Anderson Pedra, que ganhou vários lances no meio de campo. O problema foi a criação. Os meias Renatinho e Raul estiveram apagados na partida. Além de não conseguirem criar chances para os atacantes, a dupla ainda perdeu a bola em vários momentos dando o contra-ataque para o adversário.

A pressão do Sport, contudo, não foi refletida em gols. Os principais lances foram basicamente chutes de fora da área. Aliás, o Leão não teve nem a melhor chance do segundo tempo. Aos 32 minutos, o árbitro marcou pênalti para os corais. Dênis Marques foi para a cobrança com a oportunidade de ampliar o placar, mas parou o Magrão, que foi no canto e defendeu.

O Sport ainda tentou no abafa obter a igualdade. O técnico Sérgio Guedes fez as alterações que achou válidas para obter o empate. O Rubro-negro teve mais posse de bola, chutou mais, porém, não fez o gol. Festa para o Santa Cruz, que soube ser eficiente no ataque e segurar o adversário.

FICHA DA PARTIDA – SANTA CRUZ 1X0 SPORT

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Everton Sena, Renan (Nininho), William Alves e Tiago Costa; Anderson Pedra, Luciano Sorriso, Raul e Renatinho (Sandro Manoel); Flávio Caça-Rato (Caio Tavera) e Dênis Marques. Técnico: Marcelo Martelotte.

Sport: Magrão; Cicinho (Moacir), Gabriel, Maurício e Reinaldo; Tobi, Rithely e Lucas Lima; Marcos Aurélio (Érico Júnior), Felipe Azevedo e Felipe Menezes (Sandrinho). Técnico: Sérgio Guedes.

Pernambucano Coca-Cola (Final). Local: Arruda. Árbitro: Nielson Nogueira Dias. Assistentes: Elan Vieira e Marlon Rafael. Gol: Dênis Marques (SC) aos 38 minutos do primeiro tempo. Amarelos: Tobi (S), Renan Fonseca (SC), William Alves (SC) e Reinaldo (S). Público: 38.201 Renda: R$ 754.620.