Um ponto que valeu por muitos

por em às 9:30




Tinha tudo para ser um jogo muito difícil, nos sabíamos disso e fizemos o alerta, porém, não esperávamos que a partida de ontem ganhasse ares de batalha heróica, como acabaou ocorrendo. Enfrentar o Coritiba/PR no Coutro Pereira nunca foi fácil, ainda mais com o clube paranaense precisando da vitória para provar que é favorito ao retorno à Série A por que tem time para tal e não apenas por sua tradição. Mas o Sport entrou bem em campo, mostrando discplina tática, consciência da sua condição de líder invicto e muita garra e vontade. Aliás, verdade seja dita, espírito de luta e respeito ao nosso manto sagrado são duas características que este time têm mostrado ao longo da temporada. E foi justamente graças a estas características que o Leão conseguiu segurar os "Coxas-brancas".

Ao fazer 1×0 antes dos 15 minutos de jogo (Welington, aos 11), o Sport desestabilizou ainda mais o Coritiba/PR, que entrou em campo fragilizado psicologicamente após a goleada sofrida diante do Brasiliense/DF (4×1) na semana anterior e pela pressão exercida por sua torcida (insatisfeita com os diretores, o técnico e parte do elenco). No gol de empate dos paranaeses, aos 24 minutos do 1º tempo, falhamos ao não realizarmos uma marcação mais forte pelo meio e, principalmente, permitirmos o chute de Caio. Dois belíssimos gols sem dúvida, porém, é preciso destacar que o gol adversário foi o resultado de um contra-ataque surgido após o fraquíssimo árbitro Mauro Lima ignorar a clara falta sofrida por Anderson dentro da área, ou seja, pênalti não marcado em nosso favor.

Nosso Leão não se abalou com o empate e as falhas do juíz e poderia ter feito seu segundo gol logo em seguida, aos 28 minutos, quando Anderson fez uma ótima jogada e passou para Rodriguinho bater pra fora. Depois deste "recado" rubro-negro, a partida perdeu seu rumo natural, sofrendo  drástica intervenção da arbitragem, não pelas expulsões, mas pelos critérios aplicados na condução da embate, que não foram os mesmos para as duas equipes. O Sport foi nítidamente prejudicado e só não perdeu o jogo por que tem um time muito bem comandado, ciente de sua capacidade e, principalmente, que encarna a mística leonina. O empate de ontem foi conseguido graças à garra e raça deste grupo.

É bem verdade que no futebol não existe o "se", porém, mesmo com dois a menos, "se" o juiz ontem tivesse sido justo, teríamos saído de campo com mais três pontos e não apenas um. Pela forma como este empate foi conquistado, o Leão saiu fortalecido moralmente e alertado de que agora a histórica máxima "Sport, contra tudo e contra todos", mais uma vez se aplica.